sábado, 21 de dezembro de 2013

domingo, 1 de dezembro de 2013

Concordança

Dancers in Paradise, Jan Saudek


Você sente, se qualificou
Que foi seu jeito, sujeito
Que me equalizou

(Cris de Souza)

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

terça-feira, 12 de novembro de 2013

domingo, 10 de novembro de 2013

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Seresta

Se de dia
Era amor

Se de tarde
Era tecido

Seria à noite
Amortecido?

(Cris de Souza)

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Data às claras

Nada
Custa
Declarar:

Nem tudo
Que calo
Vem a calhar

Nem tudo
Que calas
Volta a encalhar

(Cris de Souza)

domingo, 3 de novembro de 2013

Tambores

Só recito
Em teus ouvidos
Se te sentir
Em meus tímpanos

(Cris de Souza)

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Sarau

Falar contra os homens...
Que tolice a vossa!
Dizei-me, acaso quereis
Ironizar as variações da bossa?

(Cris de Souza)

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Embarcação

Vila Velha/Cris de Souza


a Vinícius Cavalcante


O primeiro
Passo  
Se adivinha: 

Virar
De bordo                                    

Como
Quem diz
“Caminha”...


(Cris de Souza)

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Horário de versão

De agora em diante
Adianto o óbvio:
Prefiro ampulheta
A relógio

(Cris de Souza)

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Diálogo


Poeminha para todos os metaplágios

eu leio e tento esquecer
para não me atormentar
por imagens e palavras
que ainda serão minhas

(Assis Freitas)


Metaplágio para todo o poeminha

eu leio e tento escrever
para não me atropelar
por imagens e pá-lavras
que ainda serão vinhas

(Cris de Souza)


* Publicado originalmente em mil e um poemas

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Caixinha de surpresa

a Samuel Moura de Brito

Gosto quando
A lira salta
Da ponta do pés
Às pálpebras

(Cris de Souza)

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Migalhas

Seria patético
Não fosse
Poético:

Não adianta
Mendigar
Atenção

Quem exibe
Sua pena
É pavão!

(Cris de Souza)

domingo, 13 de outubro de 2013

sábado, 12 de outubro de 2013

Redito em volta do vão


I.
Se sair
Do vão
Não passa

II.
Mais vale
Um passo em vão 
Do que dois vagando  

III.
De vão em vão
A entrelinha
Enche o vago  

(Cris de Souza)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Portal

Imagem: Laura Ballesteros


Entre a menina que sou
E a que ser supus:
Uma terceira a anos-luz
Reduz a relação

(Cris de Souza)

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Contrafeitiço

Cada um tem seus critérios:
Preciso de que me deixes sorrir
Para que eu te tire do sério

(Cris de Souza)

domingo, 6 de outubro de 2013

Qualquer obra

Qualquer Arnaldo/Tiago Cunha Fernandes


Qualquer Arnaldo
Qualifica o quadro:
A cada centímetro
De clareza,
Um metro quadrado
De incerteza

(Cris de Souza)

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Corujice

(Foto: Cris de Souza)


Manu, nove aninhos, dispara:
- Como você sabe que a coruja é menina?
Respondo sem hesitar:
- Intuição feminina!
Manu balança a cabeça como quem diz "Ô bicha doida!".
Ainda não sei a que natureza se refere, mas, pela pose, a coruja deve saber.
Então, arregalamos os olhos e rimos... as três.

(Cris de Souza)

* Na foto, nossa ilustre vizinha/ Praia de Itaparica- Vila Velha

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

domingo, 22 de setembro de 2013

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Recapitular

Seria novela      
Se não fosse
Entre nós
Um novelo

(Cris de Souza)          

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Vínculo

(ao bruxo Barroso)

A velocidade dos insetos:
Vagam várias vespas
Sobre o mesmo verso

(Cris de Souza)

domingo, 8 de setembro de 2013

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Redito

I.
Um olho
No fogo
E outro
No facho

II.
A língua
É o bacanal
Do corpo

III.
Antes sal
Do que mal
Adoçado

IV.
Divagar
Se vai
Onde

V.
Quem
Desenha
Quer contar

VI.
Uma entrelinha só
Não faz
Versão  


(Cris de Souza)

sábado, 31 de agosto de 2013

Conto da carrocinha

com seus sete mil disfarces o gato rouba a cena
deixa as unhas de fora e calça as botas no poema
(Cris de Souza & Joelma B.)

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Poema mumificado

(a meu filho Vinícius)

Casa de artista
Só dá pinel

Quem dorme
Em sarcófago
Acorda em mausoléu

Cris de Souza

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Alfinetar

Aquela entrelinha          
Já foi aguda:

Ficou 
Mais grave

Ao se fazer 
De agulha

(Cris de Souza)

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

terça-feira, 30 de julho de 2013

domingo, 28 de julho de 2013

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Pretexto

(Joan Miró)

Basta uma lua      
E vira uivo            
O verso      

Basta um vinho    
E vira verso 
A uva           

Basta um verso
E vira vasto
O resto

 (Cris de Souza)

terça-feira, 16 de julho de 2013

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Em branco

(Anja Millen)


À beira
Do barranco
O jazz da neblina:

Jaz o tempo
De ser bailarina?

(Cris de Souza)


*Poema inspirado na imagem, desafio poético proposto por Tania Regina Contreiras.

Esboço de leitura...

... para o teu olhar fotográfico - veja AQUI.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Prévia

Pano de fundo:
Pele fértil,
Ponto fecundo

(Cris de Souza)

Conversa para amaciar pretensão

(Heironymos Bosch)

- Só te dou prazer.
Confessa!

- Confesso!
Qual vai ser a penitência?

(Cris de Souza & Joelma B.)

sábado, 6 de julho de 2013

quarta-feira, 3 de julho de 2013

terça-feira, 2 de julho de 2013

Aliciando

não me contentam
esses cantos sem passarinho
uma pena só pena
um ninho só ninho

(Cris de Souza)


 Metaplágio para a poética de Alice Ruiz.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Pontapé



 (Arno Rafael Minkkinen)

Se a arte
Não der
Pé,
Que parte
Aguenta
As pontas?


(Cris de Souza)


*Poema inspirado na imagem, desafio poético proposto por Tania Regina Contreiras.

sábado, 22 de junho de 2013

Simbólico


bilhete
para um sonho:
a sombra
só pode ser
sonâmbula

(Cris de Souza)


*Inspirado num poema de Sant Anna.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Decifração

O que não falta
É motivo
Para se mover

(Cris de Souza)

* Dedicado a Joelma Bittencourt, inspirado em sua lira.

Matiz

(Fotografia: Cris de Souza)

Toque
turquesa

Branco
brochante
em linha tesa

(Cris de Souza)

terça-feira, 4 de junho de 2013

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Ponto óbvio

Fotografia: Sthepanie Bracciano

O ser sóbrio
O ser sozinho
O ser sombrio

Vagueia
De malas prontas
Em torno do fim

(Cris de Souza)


* Poema inspirado na imagem. Desafio poético proposto por Tania Regina Contreiras.

terça-feira, 14 de maio de 2013

quinta-feira, 9 de maio de 2013

terça-feira, 30 de abril de 2013

Poema pardo


( Wassily Kandisky)

uma corda
para
o tempo

uma reta
para
a roda

uma roca
para 
o vento

um verso
para
a prosa

(Cris de Souza & Joelma B.)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Façanha

Toda aranha
Dança um reggae
Ainda que escorregue
Nas entranhas

(Cris de Souza)

* Inspirado num poema do bruxo Barroso.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

sexta-feira, 19 de abril de 2013

quinta-feira, 21 de março de 2013

quarta-feira, 6 de março de 2013

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Vocábulo


(Pintura: Salvador Dali)

Quem anda com morcego         
Desanda a morcegar                
Desde o meio termo

(Cris de Souza)

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Sinfonia de Sereia

Fotografia: Cris de Souza


o mirar 
rende 
a miragem
rege
as areias
em rendas 
de mar


(Cris de Souza)


                                                                        

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

sábado, 16 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

A perto

(Fotografia: Cris de Souza)

Um trago de quinta
Cinge qualquer
Quarta de cinzas

(Cris de Souza)

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Alegoria

(Pintura: Maria Helena Vieira da Silva)


O valete azara
A dama em fanfarra:
O coringa cai na farra!

(Cris de Souza)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Trinca em torno de Ira



I

em corpo de ira
cada poro
é uma garganta
que grita

II

a pele transpira
quando ira
se acende pira

III

santa lira
roda feito
pombagira
na saia da ira

(Cris de Souza & Joelma Bittencourt)


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Lançar à sorte


Os dois 
lados 
da moeda:

Cara para
 o que declara,    

Coroa para 
o que segreda.

(Cris de Souza)

sábado, 2 de fevereiro de 2013