quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Poema mumificado

(a meu filho Vinícius)

Casa de artista
Só dá pinel

Quem dorme
Em sarcófago
Acorda em mausoléu

Cris de Souza

9 comentários:

  1. O pinel está sempre mais do céu.
    beijo, caríssima!

    ResponderExcluir
  2. Arte no sangue, com certeza! rs

    Beijos, menina!

    ResponderExcluir
  3. a vertigem do sangue em agitação de infinitos e (im)possíveis.

    beijos para cris-tal!

    ResponderExcluir
  4. a vertigem do sangue em agitação de infinitos e (im)possíveis.

    beijos para cris-tal!

    ResponderExcluir

Viajai-vos!