quinta-feira, 21 de março de 2013

Os opostos ainda se distraem

Ele 
faz as contas
do que ouve

Ela 
faz de conta
que nem houve

(Cris de Souza)

12 comentários:

  1. O certo é que depois, entre os opostos, fica um deserto.
    Cris, fiquei maravilhado com a sua poética...
    bj.,

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Quando juntos as diferenças somem
    Daquilo que um gosta ambos comem
    Homem sem mulher não existe
    Seu mundo fica chato e triste
    E que seria da mulher sem o homem?

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Mulheres são Vênus, homens são Marte
    Cada um integra do mundo uma parte
    Unindo as diferenças
    Não há que os vença
    Reunidos fazem tudo em nome da arte.

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Homens e mulheres núpcias contraem
    São opostos, portando se atraem
    Mas se a coisa vai mal
    E eles entram no pau
    Podes crer, são supostos que traem.

    ResponderExcluir
  5. Limerique

    Pois eram opostos que se distraem
    Quando passeando juntos por aí saem
    Então brigam um dia
    Numa grande arrelia
    Daí seus sentimentos se contraem.

    ResponderExcluir
  6. houve? ouço!
    ouve? hã[á]!?

    e recomeça a reescrita do silêncio.

    beijos, cris-tal!

    ResponderExcluir
  7. As palavras sempre um brinquedo no seu enorme parque.

    :D

    ResponderExcluir
  8. Teu poemas são muito bons, Cris.

    Flores.

    ResponderExcluir
  9. cris,
    a língua (portuguesa) é ferina.
    poucos sacam os seus nuances.
    você está nessa turma.

    beijão,
    r.

    ResponderExcluir

Viajai-vos!