sábado, 5 de novembro de 2011

O Cerco

(Foto: Verônica Spnela)



 com o cuidado

das aranhas

teço tuas linhas

em minhas tramas



 (Cris de Souza)

22 comentários:

  1. Atenção, às vezes julgamos que a armadilha somos nós...que a presa está na palma da mão e enganamo-nos redondamente...:)

    ResponderExcluir
  2. Minha querida

    Por vezes ficamos presas nessa teia e somos desfeitas.
    Deixo um beijinho com carinho, desejando um bom Domingo.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  3. Ariadne
    atenta!

    Barbara.

    ResponderExcluir
  4. Cris, que amor...muito teu!!!
    Adorei!
    Bjão

    ResponderExcluir
  5. Isso, Cris, as aranhas são cuidadosas, e a tua poesia é feita de fios muito, muito originais: amo!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  6. voz de cris...álida
    quando rompe: borboletas

    Belo!

    Beijinho com admiração, moça poeta!

    ResponderExcluir
  7. a primeira palavra que aprendi escrever foi "aranha",
    e num é por nada não. gosto do alfabeto inteiro daqui.

    beijão

    ResponderExcluir
  8. a perfeição da teia dá formato à trama.

    beijo, Cris.

    ResponderExcluir
  9. Entrelinhas e entrelaces compõem a tua lida, até que se explodam em florescências assim.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Com quatro linhas faz-se uma teia que cerca e captura um sentido mais amplo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. cuidado, a aranha sabe esperar

    Beijo
    LauraAlberto

    ResponderExcluir
  12. esse cuidado que alucina!
    bonito e misterioso, Cris :)
    beijoss

    ResponderExcluir
  13. Gosto de observar as aranhas:
    pacientes, cautelosas
    a tecer fios
    tecem
    suas tramas

    Beijo, Cris!

    ResponderExcluir
  14. os olhos da aranha brilham
    sobretudo quando os raios do entardecer
    batem na teia e pintam aqueles reflexos
    ...

    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  15. Se o cerco da aranha é o cuidado, o cuidado da poeta é a fome da fêmea no cio.

    ResponderExcluir

Viajai-vos!