domingo, 16 de fevereiro de 2014

Quase mito (V)

Virgens tingem-se
Sem vestígios de manto
Fadadas ao chifre
Do unicórnio branco

(Cris de Souza)

5 comentários:

  1. Nossa, Cris, que beleza! Eu amei, amei, amei...Adoro esses Quase Mito!!!!
    Beijão, bela!

    ResponderExcluir
  2. o primeiro verso é um achado de aliteração


    beijooo

    ResponderExcluir
  3. Também gosto desse modo de interpelar à palavra definindo-a ao seu bel prazer...
    Beijo, caríssima!

    ResponderExcluir
  4. pura seda, frágil como o mito-manto que se rompe tingindo de sangue pele, ronco e loucura.

    beijos, cris-tal translúcido de tantas palpitações!

    ResponderExcluir

Viajai-vos!