segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Refrão da temporada



passo a limpo a palavra 
árida na garganta
já pelas tantas
sujo as mãos          
no silêncio desse verão   

(Cris de Souza)

18 comentários:

  1. Por verões menos silenciosos!

    Beijos, Neguinha!

    ResponderExcluir
  2. Minha linda,

    E o que seria do verão
    sem a sua palavra
    árida ou úmida,
    limpa ou suja?

    NADA!

    Adoro vc!
    Beijinhos :)

    ResponderExcluir
  3. Teu verão anda realmente silencioso, nobre poetisa? ...
    por dentro ou por fora? ...

    É tempo de por uma música nele...

    Beijos,
    André

    ResponderExcluir
  4. Ah o verão e suas singularidades...
    Belos versos Cris

    ResponderExcluir
  5. sujar as mãos faz parte de ir fundo em algo como a aridez é de cada flor de deserto, um fato cheio de sol

    beijos

    ResponderExcluir
  6. passar a limpo palavras pode ser muito revelador!

    ResponderExcluir
  7. O silêncio é profundo. Infinito. Ao som da algaravia continuamos, silenciosamente, com nossos pensamentos cheios de cores e poucas ações.

    ResponderExcluir
  8. E me silencio, entre o verão, para apreciar as suas palavras...

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Cris,

    é o refrão dos poetas minha cara amiga

    os olhos que no sentir tens alcançam...

    poemas belos

    bj

    ResponderExcluir
  10. As vezes tem que por um nariz vermelho e sorrir, enquanto o peito estoura.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  11. Beba a linfa...menina...teu verao nao tem por-de-sol. E soh vida! Eh a luz do meridiano, estasiando os corpos sequitos de experiencias novas. rs fui.

    ResponderExcluir
  12. que artesão trocaria a sujidade das mãos pela alvura da obra?

    ResponderExcluir
  13. A diferença é que a esfinge bronzeia-se. Um beijo.

    ResponderExcluir
  14. As mãos se limpam ao fim desse afago profundo.

    Belissimos versos!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Muito bom conhecer um pouco de sua expressão poética, Cris!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Viajai-vos!