terça-feira, 7 de junho de 2011

Poema quase engasgado


nesse tempo
meu corpo
caminha pro abismo 
é mesmo preciso         
que me deixes ir
com esse ar faminto?

ai, invades 
meu calendário 
arrancas esse dia 
sem coração
em que no cenário 
só há migalhas
e eu preciso de pão


(Cris de Souza)

28 comentários:

  1. "ai, invades
    meu calendário
    arrancas esse dia
    sem coração"

    Achei maravilhoso, Cris!

    "só há migalhas
    e eu preciso de pão"

    Também preciso!!!!

    Querida, um abraço apertado e um sorriso cristalino!

    ResponderExcluir
  2. Usar metáforas para descrever os sentimentos e transformá-los em poemas, quase, também, nos engasgam...

    Muito bom, Cris.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. hoje não és apenas asas de andorinha,
    és a alma dela além da lua
    cercada por nuvens
    ...


    fabuloso.


    Beijo carinhoso,
    Crisântemo.

    ResponderExcluir
  4. ai, invades
    meu calendário
    arrancas esse dia
    sem coração
    em que no cenário
    só há migalhas
    e eu preciso de pão

    O máximo, Cris...Bjos

    ResponderExcluir
  5. Ah, esses dias viciados do calendário...

    Beijo, flor escarlate!

    ResponderExcluir
  6. Estou te olhando e vejo flores em vc.

    ResponderExcluir
  7. tem umas fomes que não se contentam,


    beijo

    ResponderExcluir
  8. se tua fome inspira, então vamos diminuir tua ração!

    adorei seu instinto de lira devoradora em válvulas de escape...

    beijos.

    ResponderExcluir
  9. De fato, Cris, vivemos engasgados com a vida - que só nos dá migalhas... Nós queremos toda a Criação!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Gula lírica...
    Arrasou, amada.

    bjs

    Rossana

    ResponderExcluir
  11. Não terás migalhas... Terás pão e vinho!

    ResponderExcluir
  12. Cris querida que bela poesia! Só tenho um poco de receio com a palavra "invade", mas aqui caiu na lata (super bem)

    super beijo

    ResponderExcluir
  13. Com certeza minha amiga nõa teras migalhas mas um banquete inteiro!!!
    Linda poesia!
    bjossssss

    ResponderExcluir
  14. Muito boa as metáforas do seu poema! E não aceite mesmo migalhas, merecemos um banquete, um banquete de amor... beijos!

    ResponderExcluir
  15. Esse poema me fez lembrar o dia em que fiquei mais velho, não gosto de aniverssário sou só migalhas de lembranças rancorosas do que não foi.
    O poema é lindo - minha vida às vezes é que é um pouco triste.

    ResponderExcluir
  16. De muitas migalhas se faz um pão, mas certamente não é a mesma coisa...

    Abraço

    Runa

    ResponderExcluir
  17. Dois blogs! Como um par perfeito. Incríveis :)
    beijoss

    ResponderExcluir
  18. Minha querida Cris...
    eu a entendo.
    Tb tenho fome!
    e desejo pão.
    Mas, me contento com tão pouco...
    basta que migalhas caiam em minha mão.
    Um bj, minha querida.
    Com carinho
    Fátima
    ( Maraláxia- http://www.seriax.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  19. Sobre meus abismos, asas de palavras...

    Sigo em busca do que me alimenta...sempre!

    Bjo, carinho para a menina.

    Erikah

    ResponderExcluir
  20. a migalha, tão pequena, tão pequena que se cola na garganta
    beijo
    LauraAlberto

    ResponderExcluir
  21. Olá, recorda de mim? Estou de volta ao universo literário.

    Que belo poema este seu, ein?

    Às vezes o calendário ilustra mesmo os tropeços e abismos da vida.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  22. mereces o pão do vinho, todo. maravilhoso. já tinha saudade, beijo.

    ResponderExcluir
  23. Seu blog é muito interessante...
    Estou te seguindo.... Tenha um Lindo Dia!
    Siga meus Blogs: http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/
    E http://deusemminhaalma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Gostei muito deste poema!
    Seu vinho é o mais caro

    ResponderExcluir

Viajai-vos!