segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Válvula de Escape

 (Claudia Barbisan, a fuga)

retiro 
a válvula
na unha

o escape
é minha
testemunha

(Cris de Souza)

5 comentários:

  1. Uma proposição metalinguística?

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Acertadíssimo poema. Cálculo exato, na inexatidão das minhas experiências, pois roo
    minhas unhas.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  3. e o esmalte da sensibilidade
    intocável.

    Carinhoso abraço,
    poetisa.

    ResponderExcluir

Viajai-vos!