terça-feira, 3 de maio de 2011

Pipa de Poeta

o

p
    o
        e
          t
      a

     d á
 
    l
    i
       n
          h
               a

                n o
                            v
                              e
                           r 
                      s
               o
               -
               p     
               i
               p
               a
               .
          
               a 
         
              i  r
         p   .    a
      s       .       ç
  n          .           ã
i              .             o
. . . . . . . . . . . . . .            
               .
f             .              a
  a          .            t  
     z       .       i  
          a    f
                  .
                      .
                          .

(Cândido Portinari - Pipas/1941)

o poeta
dá linha no
verso-pipa.

a inspiração
faz a fita
...

(Cris de Souza)

26 comentários:

  1. Que lindo, Cris! Emocionante e faceiro este poema.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Genial! De uma criatividade ímpar. E dá-lhe linha!

    Voei junto...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Ficou uma construção tão leve e bonita que seria maldade -apesar das similitudes- atrelá-la ao Concretismo, cujo nome soa junto a cimento e aço, não a linhas, papel de seda e algodão.

    ResponderExcluir
  4. fiquei tontinho lendo, flutuava


    beijo

    ResponderExcluir
  5. Eureka!

    fiquei fascinado
    pelo cruzamento
    das nuvens
    com o vento
    ...

    beijo carinhoso,
    crisântemo.

    ResponderExcluir
  6. Nossa! Você sempre surpreendente!
    Também parece um gameta lírico que fecunda o céu com poesia.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Que graça cris... como fez?
    Rs... muito legal!
    Que pipa legal, amei!
    Ahhh tem um presentinho pra vc lá na Maraláxia- um meme!
    Vc passa por lá Cris...?
    Um beijo
    com carinho
    Fátima

    ResponderExcluir
  8. poetando em versos e ações.
    Ficou ótimo.

    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Querida Cris,

    vc não desvela, mas compartilha o desenigma da metalurgia poética.

    E sei o quanto de labuta há na tecitura de cada armação, no arranjo do melhor papel que a cubra, na escolha da linha.

    A nós só cabe o deslumbre de ver o poema-pipa sendo empinado.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. De nos levar às alturas, minha flor!

    Lindo, lindo, lindo...

    Beijos e cheiros.

    ResponderExcluir
  11. É isso mesmo que o poeta faz...
    Que belezinha de poema!

    Sinto falta sua no canto meu.
    :)

    bjcas
    Rossana

    ResponderExcluir
  12. lindo demais, cris.
    benditos sejam os poetas!


    bjsmeus

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lindeza! :)

    Mas só tu mesmo, né? Pra fazer a gente sair voando pelo céu, feito pipa azul a se misturar na linha do horizonte...

    Coisa linda!
    AMEI!

    Beijo grande... :)

    ResponderExcluir
  14. Lindo, leve e solto esse texto.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Perfeito, Cris!
    poeta, artista, imaginação é tudo de bom e tenho comigo que é a salvação
    moça Cris-Tal você arrasou, nossa, e que poderia escrever uma lista de elogios
    lindo linda
    beijinhos muitos admirados

    ResponderExcluir
  16. Originalíssimo!

    Gostei muito dos seus blogs, Cris!

    Um beijo,
    Doce de Lira

    ResponderExcluir
  17. Adorei CRis, em dias de correria tinha passado, achado lindo lindo e nem comentei, distração. As vezes eu acho que comentei..rsrs. Uma grande sacada essa da poesia no encontro com o poeta. O poeta dá a linha para poesia e um dia ele solta no mundo para a pipa(poesia/versos/palavras) voarem ao sabor do vento. Espetacular!

    bjs

    ResponderExcluir
  18. A geminiana pipa faz pirueta no céu da poetisa.
    Só você.

    ResponderExcluir
  19. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Machado de Carlos. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs

    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.

    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. clap clap clap - queria tê-lo escrito! besos

    ResponderExcluir
  21. Legal, legal!
    Depois, se puder, visite brunopoepop,
    talvez gostes de algo!

    ResponderExcluir

Viajai-vos!